Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Palavras ousadas

O meu espaço de ousadia

Palavras ousadas

O meu espaço de ousadia

Pandemia intelectual

blogue 01.jpg

Ninguém estava suficientemente preparado para o que aí vinha. Perdão. Alguns estavam. Mas para o caso pouca interessa. Os loucos continuarão a ser loucos, os indoutos continuarão a sê-lo, porque da epidemia intelectual, desprezível e insensível nada nem ninguém os ressuscitará. Já repararam que até os eruditos, soldados livres das palavras, dos atos e sentimentos começam a defraudar os seus homólogos? Perdidos que estão, já se ajoelham no confinamento das suas habitações, juntam as mãos lavadas à exaustão pelo sabonete de maça retirada do fundo da prateleira do supermercado, e acreditem ou não, rezam a todos os seus deuses estranhamente ocupados, deixando escapar sorrateiramente palavras imprevistas a um Deus que certamente não os ouvirá. E não ouvirá porquê? Porque pelo facto de chamares a um qualquer homem de pai, não fará de ti um filho. Para ultrapassarmos esta crise e combatermos eficazmente estas epidemia temos irremediavelmente de passar à segunda fase. Lavar bem as nossas mentes, 3 ou 4 vezes ao dia, e percebermos que esta repreensão só servirá para o futuro se apreendermos algo com ela. Deixo-vos com estas palavras: “sereis meus amigos se fizerdes o que eu vos mando.” Descubram quem as pronunciou. Não fui eu certamente.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.