Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Palavras ousadas

O meu espaço de ousadia

Palavras ousadas

O meu espaço de ousadia

Mãe incompreendida.

mae.jpg

 

 

 

 

As vicissitudes da vida

Obrigam-te a mudar,

E mesmo perdida

Incompreendida,

Tiveste que ignorar,

Avançar, chorar.

Limpaste as lágrimas

Percebeste bem cedo

Que ninguém vai reparar

No tormento, no medo,

Que estás a suportar.

O dia passa

A noite vem

Tu superas, esperas

Esperas por ninguém.

Tu não és gente

És revolver sem bala

Boné sem pala

Incontinente,

Persistente.

És dona de casa,

Com trabalho dobrado,

Pões a mesa,

Arrumas o calçado,

Ouves o malcriado,

Consertas o armário,

E tudo sem salário.

Não tens direitos

Desprezam os teus feitos,

Os teus desejos.

Estás na mão

Da nossa ambição,

Resistes, persistes,

Calada,

Envergonhada, destroçada.

De pé, deitada,

Sem ser amada

Por mim

Sim, por mim.

 Vou-te prometer

Sem temer

Amar-te,

Ouvir-te,

Abraçar-te.

Existo,

Porque tu existes.

Vivo,

Porque tu vives.

Respiro,

Porque tu respiras.

Expiras

Inspiras-me

A avançar

No teu colo

Me deitar

No teu ombro

Repousar.

Eu vou mudar

Vou mostrar

Que te amo

Que te respeito

Do meu jeito

Imperfeito

De filho.

 Para mãe.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.